Quarta, 18 de outubro de 201718/10/2017
69 984098689
Parcialmente nublado
22º
26º
-17º
Nova Brasilandia D'Oeste - RO
dólar R$ 3,17
euro R$ 3,74
brazao
Opinião de Primeira Por Sérgio Pires
Opinião de Primeira Por Sérgio Pires

Blog - Opinião.

INTERNACIONAL
No pequeno Uruguai, já se pode comprar maconha nas farmácias
Cada consumidor poderá comprar 40 gramas, o que daria para fazer até 125 cigarros/mês, com o peso médio de um cigarro de maconha nos Estados Unidos (0,32 gramas).
Tiger Nova Brasilândia - RO
Postada em 21/07/2017 ás 16h09
No pequeno Uruguai, já se pode comprar maconha nas farmácias

Parece incrível, mas é a mais pura verdade: a maconha está liberada em farmácias do Uruguai, três anos e meio depois da aprovação de uma lei proposta pelo então presidente José Mujica, que alegava que a liberação da droga acabaria com o tráfico ilegal e todas as suas consequências. Para surpresa geral do mundo, exatamente num momento em que o combate às drogas se torna prioridade para vários países, incluindo o Brasil, um pequeno país da América do Sul decidiu ir na contramão de tudo o que se fala sobre o risco da liberação das drogas e dá início a esse ciclo, num caminho que ninguém sabe onde levará. De imediato, as primeiras 16 farmácias aderiram ao sistema e cumprem todos os requisitos exigidos pelo Instituto de Regulação e Controle da Cannabis, um órgão para controlar a venda e o consumo. Além da venda nessa rede farmacêutica, há outras duas formas legais de produção e consumo da famosa erva verde: cultivo dentro das casas ou terrenos privados e cultivo cooperativo em clubes. Todos os produtores e consumidores têm que se registar, para poderem terem a liberdade de consumir uma droga que é considerada menos agressiva, mas, ao mesmo tempo, a porta de entrada para vários outros tipos de produtos alucinógenos barra pesadas. Pela nova lei, que transformou o pequeno Uruguai (pouco mais de 3 milhões e 500 mil habitantes) numa terra do ineditismo, já que é o primeira país do mundo a distribuir a substância legalmente por meio de rede autorizada, cada farmácia poderá entregar aos consumidores dois quilos de maconha por mês. Cada consumidor poderá comprar 40 gramas, o que daria para fazer até 125 cigarros/mês, com o peso médio de um cigarro de maconha nos Estados Unidos (0,32 gramas). Cada grama será vendida por 1 dólar e 30 cents, o que daria, hoje, em torno de 4 reais e 80 centavos por cigarro. As 40 gramas custariam próximo a 167 reais/mês.

Não se sabe se por ingenuidade ou por querer entrar para a História, seja como for, o Presidente Mujica defendeu com unhas e dentes seu projeto, quando o assinou, depois de ser aprovado pelo parlamento uruguaio. Mujica acha certo o direito do país experimentar alternativas para o controle das drogas e que a lei não representaria um culto à maconha. O futuro vai dizer, em breve, o quanto o pequeno país de Mujica vai sofrer, por décadas, com uma lei que mais parece ter saído da cabeça de quem recém tinha puxado um fumo, enrolado um baseado, do que de um dirigente de uma Nação. Parece incrível, mas não é!

BURACOS NA BARRAGEM

No caso da maconha liberada no Uruguai, os especialistas sérios, de todo o mundo, discordam totalmente do processo. É quase unanimidade que o projeto tem tudo para dar errado, como já deu em países que liberaram o consumo (não o plantio, sob controle oficial, como o será no Uruguai) e que agora querem voltar atrás. Droga é droga. Não importa que ela seja menos agressiva, como a maconha ou qualquer outra, que destrói vidas, famílias, cidades e países e alimenta o crime organizado. O cidadão uruguaio vai à farmácia para comprar maconha, mas essa excrescência pode ter graves consequências. Pode parecer uma previsão exagerada, mas há algumas coisas que não se pode abrir uma fresta, sob pena de que amplie para buracos perigosos na barragem, que podem prejudicar toda a sociedade. Daqui a pouco se defenderá o uso da cocaína, do Crack e por aí vai. Enfim, a maconha é droga e droga é, sempre, coisa ruim!

GAUCHADA DE LUTO

A mídia brasileira perdeu, nessa semana, um dos seus ícones, deixando todo o Rio Grande do Sul de luto. Paulo Sant´Anna, feirante, policial, autodidata, torcedor fanático do Grêmio, colunista esportivo, cronista da vida, das pessoas e da poesia, um dos mais belos textos do jornalismo nacional, foi embora aos 78 anos. Não há gaúcho que tenha vivido a última geração sem ouvi-lo, sem contestá-lo ou sem se encantar com ele. Seus comentários eram ácidos, instigantes, criativos. Foi um inovador na crônica esportiva. Numa delas, nos anos 70, escreveu o nome do centro avante Dario Maravilha da primeira à última linha de uma longa coluna, exigindo que ele fosse contratado por seu time do coração, o Grêmio. Não o foi, mas mexeu com a então tradicional e arcaica forma de análises e comentários do futebol. Depois, Sant´Anna tornou-se um cronista perspicaz, analisando a vida e as pessoas de forma poética, mas eventualmente também crítica, sem perder a ternura jamais, como diria Che Guevara. Chegou a cantar, ao lado de Julio Iglesias, para um público de 50 mil pessoas. Era um gênio. Foi-se e deixou um pouco mais medianos (para não dizer medíocres) o jornalismo e a cultura do nosso país.

BRITO DO INCRA NA TV

O superintendente do Incra é o entrevistado do Direto ao Ponto deste sábado, apresentado por Sérgio Pires. Na conversa, Brito do Incra fala sobre as ações do órgão no Estado; a verdadeira revolução no campo, que vai representar a recém aprovada lei da regularização fundiária; nas oito mil pessoas que ainda vivem embaixo de lonas e na luta do órgão para, só neste ano, conceder pelo menos seis mil títulos de propriedade em Rondônia. Não perca. É neste sábado, a partir das 11h30 da manhã, simultaneamente na Record News Rondônia, Canal 31; na SKY, Canal 358 e na TV a Cabo, Canal 17. A partir de domingo, o telespectador pode acompanhar o programa com Brito do Incra no site Gente de Opinião e também em outros sites de notícias do Estado.

CADA VEZ MAIS MORTES

A Rodovia da Morte voltou a mostrar suas garras e a competência para tirar vidas. Dessa vez foi em Vilhena. Um choque que envolveu quatro caminhões, matou nada menos do que quatro pessoas; pode haver uma quinta vítima, que ainda não foi localizada e também deixou outras duas gravemente feridas. Há uma informação não confirmada de que um bebê de dois meses, que estaria num dos carros, havia sumido. Outra tragédia, que destruiu família, ceifou vidas e causou enormes prejuízos materiais. No acidente, os caminhões incendiaram, causando medo em todos os moradores das proximidades e nos motoristas que iam e vinha pela rodovia. Tudo isso aconteceu em plena luz do dia e a causa principal, embora as investigações recém tenham começado, provavelmente foi uma ultrapassagem irregular, numa rodovia tão perigosa e mal sinalizada. A 364 mata todos os dias. E enquanto autoridades discursam com promessas sem fim de que a rodovia será melhorada, o sangue continua jorrando no asfalto. Duplicação? Quem ainda acredita?

LIMPEZA EM VILHENA

Será que dessa vez a limpeza vai ser mesmo geral e livrar a população de Vilhena de tantos corruptos? Ações do Ministério Público, da Polícia Federal e da Polícia Civil têm desarticulado todo um sistema de corrupção naquela cidade fronteiriça de Rondônia, com políticos e poderosos avançando nos cofres públicos e praticando ilegalidades, de dar inveja aos envolvidos na Lava Jato, embora, claro, o volume de dinheiro seja muito menor. Há anos Vilhena vê alguns dos seus políticos sendo presos, andando de tornozeleira eletrônica, tendo que cumprir pena em regime aberto ou fechado. Parece, eventualmente, que a podridão da política decidiu se unir e tirar tudo o que pode dos vilhenses. Ainda bem que é uma minoria, que está indo para o xilindró. Os políticos sérios (um exemplo deles é o deputado Luizinho Goebel), dão duro para cumprir sua missão, delegada pelos eleitores. Nesta quinta, em mais uma operação policial peso pesada, houve várias detenções. Um vereador Vanderlei Graebin – é um deles. É acusado de liderar um esquema de propinas para liberar loteamentos ilegais. Cadeia em todos os que prevaricaram!

SEGURANÇA ZERO

O entorno do Porto Velho Shopping, inclusive durante o dia, tem se transformado em território de ninguém, com a bandidagem agindo livremente. Não se vê um só policial nas imediações do centro comercial, enquanto os assaltos se repetem, por vezes dois ou três num só dia. Na manhã dessa quinta, a cena se repetiu. Um casal, numa moto (o mesmo casal que já foi visto em vários outros ataques), realizou mais um assalto a mão armada, em plena luz do dia, tipo oito e meia da manhã. A vítima perdeu seus pertences e não teve a quem recorrer. Não é possível que não haja resquício de segurança pública numa região tão importante da cidade e onde existem agências bancárias, uma delas dentro do Shopping e outra na rio Madeira, quase em frente ao portão principal de acesso ao centro comercial. Frequentadores da área e moradores estão pedindo socorro. É insegurança demais. O casal de bandidos vai acabar ficando rico, de tanto roubar nas proximidades, sem ser importunado.

PERGUNTINHA

Você também está comemorando, com grande alegria, a notícia de que você vai pagar a farra dos gastos públicos, com mais um aumento dos impostos, nesse país onde o governo achaca a população?

FONTE: Sérgio Píres
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
imprimir
137
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium